• Eduardo Mello

ÂMBAR

Atualizado: 28 de jun.



O Âmbar possui uma energia “fluídica”, que lembra o movimento do Mel, e vai penetrando em nosso corpo etérico preenchendo todas as lacunas e fissuras. É um bálsamo para o corpo energético.

O Âmbar é a seiva de Pinheiros Pré-Históricos que se fossilizou ao longo das últimas eras. É um produto vegetal e não mineral que, devido ao processo de fossilização, passa a ter a aparência de uma pedra, por isso muita gente acha que o âmbar é um cristal.

Os melhores exemplares são do Mar Báltico, lá em cima no Mapa Mundi, em países como Lituânia, Estônia, Letônia e Polônia. O Âmbar Báltico é o mais valorizado do mercado e que possui as maiores quantidades de ácido succínico (falo dele mais a baixo), e seu valor também é um dos mais elevados. Além do âmbar báltico, diversos outros locais possuem âmbar, de diversas qualidade, sendo a Colômbia e o Méxido dois outros locais muito conhecidos.


Energeticamente o Âmbar é o MELHOR de todos para “cicatrizar” as fissuras da Aura. Essas fissuras acontecem quando vivenciamos algum trauma emocional ou físico, e quando fazemos alguma grande limpeza em nosso sistema de corpos energéticos. Ao limpar esse trauma/miasma no campo áurico, deixamos um “buraco” naquele local.


Esses buracos na aura começam a drenar a energia do corpo e podem levam alguns dias (ou semanas) para cicatrizarem e serem preenchidos novamente. O que pode gerar muito cansaço e indisposição. O âmbar, com sua energia fluídica, que lembra o MEL, consegue preencher esses buracos e fissuras, e os cicatrizam de maneira muito mais rápida. Nesses casos podemos usar o âmbar diretamente sob os locais mais afetados, ou os colocar em volta do corpo da pessoa nas sessões de cristaloterapia.


Outro uso, usando essa mesma linha de cicatrização energética, é sua função de auxiliar na cicatrização também no nível mais denso, físico, pois todo corte ou ferimento no nível físico gera uma distorção semelhante no campo etérico. Se conseguirmos restabelecer o fluxo ordenado de energia no nível etérico (trabalho do âmbar), o corpo físico tende a se recuperar mais rápido. Indico a união da malaquita com âmbar para esses casos, mas nunca coloquem cristais diretamente sobre feridas abertas, sempre ao lado, para não haver risco de contaminação.


Um último uso muito comum do âmbar é seu uso em colares para crianças em fase de nascimento de dentes, ou mesmo antes disso. Esse uso é indicado devido a dois fatores principais, o primeiro é devido a presença do ácido-succínico em sua composição que, segundo as fontes consultadas, possui efeito anti-inflamatório, analgésico e cicatrizante.


Ao usar o âmbar em contato com a pele esse ácido pode atuar no corpo da pessoa e produzir efeitos benéficos, apesar de eu acreditar nesses efeitos, não posso dar certeza de sua eficácia pois nunca li nenhuma pesquisa que comprovasse que o ácido realmente penetra na pele e age conforme descrito. O segundo uso, que entendo mais, é o ponto de vista energético. O âmbar ajuda os pequenos a manterem seus campos de energias mais coesos, menos abertos, mais protegidos. Ele forma uma espécie de camada protetora, muito suave e agradável, que é muito benéfica para as crianças. E para aqueles que estão na fase de dentição, o âmbar ainda pode auxiliar, pelo ponto de vista energético, a suavizar as pequenas inflamações que ocorrem em alguns casos e geram dores e até febre.


Para adultos o âmbar também pode ser usado como pulseira, colar e etc, com o mesmo intuito de selar a aura, a manter coesa e mais protegida. Eu adoro!



56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

VIVIANITA

VANADINITA