• Eduardo Mello

CALCITA DOURADA



A auto maestria é a busca de toda Alma, Jesus nos mostrou que em cada ser habita a capacidade de realização que ele teve. Em nosso estado mais puro e divino somos a perfeita manifestação da vida, somos mestres na essência, carregamos essa informação em nosso DNA e nosso Ser. Podemos utilizar muitos caminhos e pontes para esse lugar, porém somente nossos próprios pés podem nos fazer chegar lá.


A Calcita Dourada é uma variedade da família das Calcitas, que é uma família bem grande e se apresenta de diversas cores e formatos diferentes. Neste caso, não devemos confundir a Calcita Amarela com a Dourada, e nem a Calcita Ótica Dourada com a Calcita Dourada “normal”, apesar de serem muito próximas do ponto de vista químico/físico, do ponto de vista energético não atuam exatamente da mesma maneira.

Este cristal atua predominantemente nos corpos mais elevados, ou corpos espirituais, fazendo a ponte entre a personalidade e o Eu Superior ou Alma. Podemos definir sua tônica principal como responsabilidade espiritual, ou seja, o ponto aonde entendemos que somos nós que criamos nossa realidade, baseados em nossas crenças, ações, pensamentos e atitudes, moldamos cada página seguinte no livro de nossas vidas. Ela nos ajuda a cessar a sabedoria que reside em cada um e a ancorar na vida cotidiana todo nosso conhecimento adquirido previamente e a discernir sobre o que realmente está alinhado com nosso Eu Verdadeiro.


Quando vamos aprofundando em nosso caminho de autoconhecimento e conexão com a nossa essência, começamos a perceber o quão responsáveis somos por nossa vida e passamos a deixar de reclamar do mundo exterior e dar mais atenção para os nossos atos que serão a causa do que atrairemos no mundo exterior. Paramos de reclamar do governo, da família, do vizinho ou do chefe e passamos a nos perguntar: “O que posso fazer para mudar isso?” ou “Porque estou atraindo essa situação?” Neste ponto passamos a ter mais atenção ao que comemos, assistimos, com quem andamos e lugares que frequentamos.

O AYURVEDA nos mostra as três qualidades básicas dos alimentos que comemos, mostrando que alguns alimentos nos elevam, outros agitam e outros nos deixam mais inertes. Qual tipo de alimento escolhemos para nossa vida? Qual a qualidade do que ingerimos?


E as músicas? Nos agitam, nos deprimem ou elevam? E o que vemos? Como ficamos depois de assistir? E as pessoas que escolhemos sair? Como ficamos depois? Os livros que lemos? As viagens que fazemos? As pessoas que seguimos nas redes sociais? E nossas práticas de equilíbrio diário como Meditação, Yoga, Tai Chi, Orações e etc? Como estão?


Somos nós que escolhemos; não somos o produto, somos a causa! Meu professor Antônio Duncan dizia que quando passamos a compreender esse conceito atingimos a auto iniciação espiritual. E é justamente esse nível de consciência que a Calcita Dourada nos ajuda a alcançar.


Para conseguirmos ter efetividade com estes tipos de cristais mais avançados não bastará apenas usá-lo no bolso ou o deixar por perto para que um “milagre” aconteça. Aqui precisamos de mais, cada um à sua maneira, mas de forma geral, será necessária uma vida mais regrada, com meditação/oração, estudos, disciplina, autoconhecimento e assim vai. E para aqueles que estiverem trilhando esse caminho e essa busca, talvez, em algum momento, a Calcita Dourada possa chegar para dar uma forcinha. Lembrem, não somos nós que mandamos quando queremos atingir o próximo nível de consciência, ele é apenas o fruto de escolhas conscientes no hoje, que resultarão em um amanhã mais elevado. A escolha é nossa!



36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

VIVIANITA

VANADINITA